25 de October de 2018 plenocao

4 passos para prevenir a ansiedade de separação no seu cão

No post anterior falamos sobre o conceito, os sintomas, as causas e possíveis intervenções para a ansiedade de separação.
Se você ainda não leu, clique aqui.

Neste post falaremos, passo a passo, sobre a prevenção.

Primeiro passo

Ao receber um novo cão em casa, é importante evitar situações que encorajem um apego excessivo, ao contrário, deve-se estimular a segurança e a autonomia do recém-chegado. É claro que queremos um cão para companhia e que participe de nossa rotina, mas sabemos que é humanamente impossível, além de não ser saudável, passar 24 horas, 7 dias por semana, com o cão. Por isso, ele deve ser acostumado lentamente a ficar sozinho e não seguir o proprietário por toda a parte. Isto pode ser realizado através do treino na caixa de transporte, um cercado ou um cômodo preparado para o cão. Porém, essa separação do tutor não pode se tornar um castigo ou uma experiência ruim para o cão. Então, o que fazer para associar a sua saída a algo legal e positivo? A resposta é… enriquecimento ambiental. É um grande aliado neste tipo de treinamento. Brinquedos recheáveis ou dispensadores de ração ou petiscos podem fazer a diferença nesse momento. Além do cão fazer uma associação positiva da ausência do tutor, o enriquecimento ambiental promove desenvolvimento cognitivo e expressão de comportamentos naturais que ajudam a diminuir a ansiedade. Este tipo de exercício é especialmente útil quando se sabe que o tutor irá se ausentar por longos períodos, por conta do trabalho, por exemplo.

Segundo passo

Precisamos pensar que os comportamentos que estimulam demasiadamente o cão, podem ser interessantes caso você esteja no quintal ou em um parque fazendo atividades de recreação, mas devem ser evitados no dia a dia e, principalmente, ao chegar em casa. Sei que isso é algo que muita gente fala, mas é uma das coisas mais importantes para prevenção da ansiedade de separação. O instante que você chega em casa já é, por si só, o momento de maior pico de ansiedade do cão. Alguns cães chegam a urinar na chegada das pessoas e isso não é engraçado, pois demonstra total falta de controle sobre o próprio organismo. Portanto, é sim, muito importante que você cumprimente o seu cão de forma tranquila, da mesma forma como você fala com as pessoas de seu convívio diário, sem exaltações. Deixe o cão se acalmar e, somente depois, converse com ele.

Terceiro passo

Comportamentos ansiosos como latir, morder, pular para atrair a atenção ou solicitar objetos como brinquedos, petiscos devem ser ignorados. Os comportamentos tranquilos devem ser reforçados. É possível ensinar comandos como sentar, deitar e ficar a partir dos 2 meses de idade e auxiliam bastante no processo de aprendizagem dos comportamentos desejados.

Quarto passo

Implementação de uma rotina de atividades física, mental e social. Como citamos no post anterior, é essencial para o equilíbrio do organismo e diminuição dos níveis de energia, deixando o cão mais calmo e tranquilo em casa. Além de promover o bem-estar e tornar o ambiente e a relação entre cão e tutor muito mais harmoniosa.

Cintia Magrini
Graduanda em Psicologia, comportamentalista e educadora de cães.

Referências:
LANTZMAN, M. Ansiedade de separação em cães. Disponível em: www.pet.vet.br/ansiedade.html. Acesso em: 20 nov. 2014.

OGATA, L. Ansiedade de separação em cães. Disponível em www.tudodecaotransforma.com.br. Acesso em: 23 mai. 2018.

Este conteúdo possui direito autoral.
Caso queira utilizá-lo, não esqueça de descrever a fonte e o link da íntegra:

Posts parecidos com esse

Continue lendo.
Você também poderá gostar desses conteúdos.

FALE COM A GENTE

Sinta-se a vontade para entrar em contato com a gente
para informações, dúvidas e sugestões sobre qualquer assunto.