25 de October de 2018 plenocao

Bem-Estar Animal e Humanização

Você provavelmente já deve ter ouvido falar em Bem-Estar Animal.
Bom, Bem-Estar é um conceito científico que busca elaborar medidas para que os animais inseridos em meios não naturais – domicílios, fazendas, sítios etc., tenham maior qualidade de vida.

O processo se iniciou com animais de produção – galinhas, porcos e bovinos, mas logo se estendeu aos animais de companhia, os famosos ‘pets’.

A importância da temática vem do fato de que, assim como os animais de produção tem seu meio de vida modificado e muitas vezes prejudicado pelo manejo diário, também os cães e gatos (e silvestres), o tem, quando são humanizados.

Humanização de cães e gatos nada mais é do que atribuir a eles, características de conforto e saúde que servem a nós, humanos. Quando isso ocorre, invariavelmente há prejuízos ao Bem-Estar dessas espécies.

Para tornar o quadro mais fácil de ser entendido, os pesquisadores elaboraram há décadas, o conceito das ‘Cinco Liberdades’ que todo animal deve ter para garantir-se que estejam em situações saudáveis de convivência e sobrevivência. São elas:

1)     Livre de medo e angústia

2)     Livre de fome e sede

3)     Livre de desconforto

4)     Livre para expressar seu comportamento natural.

5)     Livre de dor e doenças

Especial consideração deve ser dada à liberdade 4: ‘Livre para expressar seu comportamento natural’. Nesse contexto, o nicho ecológico de um cão é muito diferente daquele que tutores muitas vezes almejam como ideal. Um cão precisa basicamente, nesse quesito, de espaço enriquecido para expressar seus comportamentos de caça (lembre-se que seu cão é um caçador nato) como buscar e procurar, forragear, farejar, brincar para estimular e desenvolver funções cognitivas, além de interação com outros cães e pessoas.

Não é raro o tutor confundir a estética (laços, sapatinhos, enfeites) e o conforto em mobília (poltronas e móveis que pertencem ao cão) com Bem-Estar. Não é necessariamente. Banhos diários, roupas, perfumes e apetrechos não garantem Bem-Estar aos cães e gatos – às vezes podem até levar a danos -, mas sim bons passeios, boas brincadeiras e bons momentos de socialização.

Visando esse aspecto, há uma intensa mobilização dos profissionais de saúde animal em estabelecer métodos de Bem-Estar, adaptando-o à vida urbana e aos anseios do tutor. Desta forma, novos protocolos de vacina permitem uma socialização precoce do cão, enriquecimento ambiental é uma das áreas mais estudadas aos especialistas em gatos e silvestres e cada vez mais ganha espaço no mundo dos cães e são desenvolvidos brinquedos funcionais.

No mesmo sentido o número de estabelecimentos e profissionais dedicados exclusivamente ao comportamento dos pets vem tendo franco crescimento, uma vez que os tutores percebem as demandas de seus animais.

Humanização sempre prejudica o animal. E aqui, não há uma negação aos enfeites, roupinhas e banhos. Muito pelo contrário. Podem e devem ser usadas pois garantem outras liberdades necessárias ao Bem-Estar, muitas vezes. Mas é necessário bom senso e orientação sobre o que é realmente necessário e sobre as reais necessidades que seu pet tem.

Dr. Rafael Vieira
médico veterinário clínico e cirurgião.

Este conteúdo possui direito autoral.
Caso queira utilizá-lo, não esqueça de descrever a fonte e o link da íntegra:

Posts parecidos com esse

Continue lendo.
Você também poderá gostar desses conteúdos.

FALE COM A GENTE

Sinta-se a vontade para entrar em contato com a gente
para informações, dúvidas e sugestões sobre qualquer assunto.